Testamento Redentor | Atos dos Apóstolos - Capítulo 16

Bíblia do Caminho Testamento Redentor

Atos dos Apóstolos  † 

(Vulgatæ Editionis)

CAPÍTULO 16  † 

(Versículos e sumário)

16 Chegou Paulo a Derbe e Listra. E eis que havia ali um discípulo por nome Timóteo, filho de uma mulher fiel da Judeia, de pai gentio.

2 Deste davam bom testemunho os irmãos que estavam em Listra e em Icônio.

3 Quis Paulo que ele fosse em sua companhia e consentindo, circuncidou-o, por causa dos judeus que havia naqueles lugares. Porque todos sabiam que seu pai era gentio.

4 E quando passavam pelas cidades, lhes ensinavam que guardassem os decretos que haviam sido estabelecidos pelos apóstolos e pelos presbíteros, que estavam em Jerusalém.

5 E, com efeito, as igrejas eram confirmadas na fé, e cresciam em número cada dia.

6 Atravessando a Frígia e a província de Galácia, foram proibidos pelo Espírito Santo de anunciarem a palavra de Deus na Ásia.

7 E tendo chegado a Mísia, intentavam passar a Bitínia, mas o Espírito de Jesus não lho permitiu.

8 E depois de haverem atravessado a Mísia, baixaram a Trôade;

9 E de noite foi representada a Paulo esta visão: Achava-se ali em pé um homem macedônio, que lhe rogava dizendo: Passando pela Macedônia, ajuda-nos.

10 E assim que teve esta visão, procuramos logo partir para Macedônia, certificados de que Deus nos chamava para lhes pregar o Evangelho.

11 Tendo-nos pois embarcado em Trôade, viemos direto à Samotrácia e ao outro dia a Nápoles;

12 E daí a Filipos, que é uma colônia e cidade principal daquela parte da Macedônia. E nesta cidade nos detivemos alguns dias, conferindo juntos.

13 Num dia de sábado saímos fora da porta da cidade junto ao rio, onde parecia que se fazia oração, e assentando-nos ali, falávamos às mulheres que haviam concorrido.

14 E uma mulher, por nome Lídia, da cidade dos Tiatirenos, que comerciava púrpura, serva de Deus, nos ouviu; o Senhor lhe abriu o coração para atender àquelas coisas que por Paulo eram ditas.

15 E tendo sido batizada, ela e a sua família, fez esta deprecação: Se julgais que sou fiel ao Senhor, entrai em minha casa e ficai ali. E nos obrigou a isso.

16 Aconteceu então, que indo nós à oração, nos encontrou uma moça que tinha o espírito de Piton, a qual com as suas adivinhações dava muito lucro a seus amos.

17 Esta, seguindo a Paulo e a nós, gritava, dizendo: Estes homens são servos do Deus Excelso, que vos anunciam o caminho da salvação.

18 E isto fazia muitos dias. Mas Paulo indignando-se já, tendo-se voltado para ela, disse ao Espírito: Eu te ordeno em nome de Jesus Cristo, que saias desta mulher. E ele na mesma hora saiu.

19 E vendo seus amos que se lhes tinha acabado a esperança do seu lucro, pegando em Paulo e em Silas os levaram à praça, aos do governo;

20 E apresentando-os aos magistrados, disseram: Estes homens amotinam a nossa cidade, porque são judeus,

21 E pregam um modo de vida que a nós não nos é lícito receber, nem praticar, sendo romanos.

22 E ajuntou o povo, pondo-se contra eles; os magistrados fazendo rasgar suas vestes, mandaram que fossem açoitados com varas.

23 E depois de os terem fustigado muito, lançaram-nos numa prisão mandando ao carcereiro que os guardassem diligentemente.

24 Tendo recebido tal ordem, lançou-os num calabouço e lhes apertou os pés no cepo.

25 Mas à meia-noite, postos em oração, Paulo e Silas louvaram a Deus, e os que estavam na prisão os ouviam.

26 E subitamente se sentiu um terremoto tão grande, que se moveram os fundamentos do cárcere. E se abriram logo todas as portas, e foram soltas as prisões de todos.

27 Tendo pois despertado o carcereiro, e vendo abertas as portas do cárcere, tirando da espada queria matar-se, pensando que os presos haviam fugido.

28 Mas Paulo lhe bradou em voz alta: Não te faças nenhum mal, porque todos estamos aqui.

29 Então, tendo pedido luz entrou e, tremendo todo, se lançou aos pés de Paulo e de Silas.

30 E tirando-os para fora, disse-lhes: Senhores, que devo fazer para me salvar?

31 Eles lhe disseram: Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua família.

32 E lhe pregaram a palavra do Senhor, e a todos os que estavam em sua casa.

33 Cuidando deles naquela mesma hora da noite, lhes lavou as chagas. E imediatamente foi batizado ele e toda a sua família.

34 Como permanecessem em sua casa, lhes pôs a mesa e se alegrou com todos os da sua casa, crendo em Deus.

35 E quando se fez dia, os magistrados enviaram os lictores a dizer: Deixa ir livres esses homens.

36 E o carcereiro comunicou a Paulo esta ordem: Já os magistrados mandaram que sejais postos em liberdade; agora, pois saindo daqui, ide em paz.

37 Então Paulo lhes disse: Açoitaram-nos publicamente, sem condenação, sendo cidadãos romanos, nos puseram no cárcere e agora nos lançam fora em segredo? Não será assim; mas venham.

38 Tirem-nos eles mesmos. E os lictores deram parte destas palavras aos magistrados, e estes temeram quando ouviram que eram romanos.

39 E vindo lhes pediram perdão, e tirando-os, rogavam-lhes que saíssem da cidade.

40 Saindo portanto do cárcere, entraram em casa de Lídia, e quando viram aos irmãos, os consolaram e logo partiram.



Há imagens desse capítulo, visualizadas através do Google - Pesquisa de livros, nas seguintes bíblias: Padre Antonio Pereira de Figueiredo edição de 1828 | Padre João Ferreira A. d’Almeida, edição de 1850 | A bíblia em francês de Isaac-Louis Le Maistre de Sacy, da qual se serviu Allan Kardec na Codificação. Veja também: A versão Corrigida e revisada, fiel de Almeida; Novum Testamentum Graece 28th revised edition, edited by Barbara Aland and others; Parallel Greek New Testament by John Hurt


.

Abrir