Bíblia do Caminho Antigo Testamento

1º Livro dos Reis    † 

(Vulgatæ Editionis)

CAPÍTULO 20

(Versículos e sumário)

20 Benadad porém, rei da Síria, ajuntou todo o seu exército, e com ele trinta e dois reis, e cavalos e carroças; e subindo pelejou contra Samaria, e a sitiou.

2 E enviando à cidade mensageiros a Acab, rei de Israel,

3 Disse: eis aqui o que diz Benadad: A tua prata, e o teu ouro é meu; e as tuas mulheres, e os teus filhos mais gentis, são meus.

4 E o rei de Israel respondeu: Como tu dizes, ó rei meu senhor, eu sou teu, e todas as minhas coisas.

5 E voltando os mensageiros, disseram: eis aqui o que diz Benadad, que nos enviou a ti: Tu me hás de dar a tua prata, e o teu ouro, e as tuas mulheres, e os teus filhos.

6 Amanhã pois a esta mesma hora te enviarei os meus servos, e esquadrinharão tua casa, e a casa de teus servos; e eles tomarão com as suas mãos tudo o de que gostarem e o levarão.

7 Chamou pois o rei de Israel todos os anciãos do povo, e disse: Considerai, e vede, que ele nos arma algum laço; porque me mandou mensageiros a pedir minhas mulheres, e filhos, e a prata, e o ouro, e eu não disse que não.

8 E todos os anciãos, e todo o povo lhe responderam: Não lhe dês ouvidos, nem condescendas com ele.

9 E assim respondeu aos mensageiros de Benadad: Dizei ao rei meu senhor: Eu farei todas as coisas que tu me enviaste a pedir no princípio a mim teu servo; mas esta coisa não a posso fazer.

10 E voltando os mensageiros, lhe referiram a resposta. O qual os tornou a enviar e disse: Os deuses me tratem com a sua última severidade, se o pó de Samaria bastar para encher os punhados de todo o povo que me segue.

11 E o rei de Israel respondendo, disse: Dizei-lhe: Não se vanglorie o que toma as armas do mesmo modo como o que as larga.

12 Sucedeu pois que, quando Benadad ouviu esta resposta, ele estava bebendo nas suas tendas com os reis, e disse aos seus servos: Cercai a cidade. E eles a cercaram.

13 E eis que chegando-se um profeta a Acab rei de Israel, lhe disse: eis aqui o que diz o Senhor: Viste toda esta inumerável multidão? Pois eu te declaro, que hoje ta entregarei nas tuas mãos; para que tu saibas, que eu sou o Senhor.

14 E disse Acab: Por quem? E ele lhe respondeu: eis aqui o que diz o Senhor: Pelos criados de pé dos príncipes das províncias. E disse Acab: Quem começará a pelejar? E o profeta lhe disse: Tu.

15 Fez Acab pois revista dos criados dos príncipes das províncias, e achou que eram duzentos e trinta e dois; e depois deles fez revista do povo, de todos os filhos de Israel, e achou que eram sete mil.

16 E saíram ao meio-dia. Benadad porém já embriagado estava bebendo na sua tenda, e com ele os trinta e dois reis, que tinham vindo em seu socorro.

17 Os criados pois dos príncipes das províncias marchavam na primeira frente. E Benadad mandou espias. Os quais lhe vieram dizer: É gente que saiu de Samaria.

18 E ele disse: Ou eles venham tratar de paz, tomai-os vivos; ou venham a pelejar, prendei-os vivos.

19 Avançaram-se pois os criados dos príncipes das províncias, e o resto do exército os seguia;

20 E cada um deles matou os que se lhe puseram diante; e logo os Sírios fugiram, e Israel os perseguiu. Benadad, rei da Síria, também fugiu a cavalo com os seus cavaleiros.

21 E o rei de Israel tendo também saído matou os cavalos, e destruiu as carroças, e maltratou a Síria com um grande estrago.

22 (Vindo pois um profeta ter com o rei de Israel, disse-lhe: Vai, e cobra ânimo, e sabe, e vê o que tens para fazer; porque no ano seguinte virá o rei da Síria contra ti.)

23 Os servos porém do rei da Síria lhe disseram: Os deuses dos montes são seus deuses, e por isso eles nos venceram; mas é melhor que pelejemos com eles em campo raso, e vencê-los-emos.

24 Tu pois faze isto: Aparta do exército todos os reis, e põe em seu lugar os primeiros oficiais;

25 E restabelece o número dos soldados, que morreram dos teus, e os cavalos conforme eram antes, e as carroças segundo o número das que tinhas antes; e nós pelejaremos contra eles em campo raso, e tu verás que os desbarataremos. Creu ele no conselho deles, e assim o fez.

26 Portanto tendo passado um ano, fez Benadad revista dos Sírios, e veio a Afec, para combater contra Israel.

27 E fez-se também revista dos filhos de Israel, e providos de víveres marcharam contra os Sírios, e se acamparam em frente deles, como dois pequenos rebanhos de cabras; os Sírios porém cobriam a terra.

28 (E vindo um homem de Deus disse ao rei de Israel: eis aqui o que diz o Senhor: Porque os Sírios disseram: O Deus dos montes é o Senhor e não é o Deus dos vales; eu te entregarei nas mãos toda esta grande multidão, e sabereis que eu sou o Senhor.)

29 E estiveram os exércitos ordenados em batalha sete dias, estes em frente daqueles, e ao sétimo dia se deu batalha; e os filhos de Israel mataram num dia cem mil homens de pé dos Sírios.

30 Os que escaparam, fugiram para a cidade de Afec; e caiu o muro sobre vinte e sete mil homens, que tinham restado. Mas Benadad fugindo entrou na cidade, e retirou-se ao lugar mais secreto duma câmara;

31 E disseram-lhe os seus servos: Atende, nós temos ouvido dizer que os reis da casa de Israel são clementes; ponhamos pois sacos sobre os nossos rins, e cordas à roda das nossas cabeças, e vamos buscar o rei de Israel; talvez que ele nos salve as vidas.

32 Pelo que eles se cingiram com sacos pelos rins, e puseram cordas nas suas cabeças, e vieram ter com o rei de Israel, e lhe disseram: O teu servo Benadad diz: Concede-me, eu te peço, a vida. E ele respondeu: Se ele ainda vive ele é meu irmão.

33 O que tomaram os homens por bom presságio; e tomaram logo a palavra da sua boca, e disseram: Teu irmão Benadad. E ele lhes disse: Ide, e trazei-mo. Veio pois Benadad à presença de Acab, e este o fez montar sobre a sua carroça.

34 E Benadad lhe disse: Eu te restituirei as cidades, que meu pai tomou a teu pai; e faze para ti praças em Damasco, assim como meu pai as fez em Samaria, e eu me retirarei de ti depois de feita a aliança. Fez pois a aliança e o deixou ir.

35 Então um dos filhos dos profetas disse da parte do Senhor a um seu companheiro: Fere-me. Mas ele o não quis ferir.

36 E ele lhe disse: Porque tu não quiseste ouvir a voz do Senhor, logo que te apartares de mim te matará um leão. E tendo-se eles apartado um pouco dele, um leão o encontrou, e o matou.

37 Mas encontrando também outro homem, disse-lhe: Fere-me. Este homem lhe deu e o feriu.

38 Retirou-se pois o profeta, e encontrou o rei no caminho, e disfarçou-se cobrindo de pó o seu rosto e os seus olhos.

39 E passando o rei, gritou ao rei, e disse-lhe: O teu servo saiu a pelejar de perto; e como fugisse um homem, outro mo trouxe, e me disse: Guarda-me este homem; se ele se escapar, a tua vida responderá pela vida dele, ou tu pagarás um talento de prata.

40 E quando eu todo turbado andava às voltas duma parte para a outra, de repente desapareceu. E o rei de Israel lhe disse: Esta é a tua sentença que tu mesmo pronunciaste.

41 Mas logo limpou o pó do seu rosto, e o rei de Israel conheceu que era um dos profetas.

42 E ele lhe disse: eis aqui o que diz o Senhor: Porque tu deixaste escapar das tuas mãos um homem digno de morte, a tua vida responderá pela vida dele, e o teu povo pelo seu povo.

43 O rei de Israel porém voltou para sua casa, não fazendo caso de ouvir, e enfurecido veio para Samaria.



Há imagens desse capítulo, visualizadas através do Google - Pesquisa de livros, nas seguintes bíblias: Padre Antonio Pereira de Figueiredo edição de 1828 | Padre João Ferreira A. d’Almeida, edição de 1850 | A bíblia em francês de Isaac-Louis Le Maistre de Sacy, da qual se serviu Allan Kardec na Codificação. Veja também: A versão Corrigida e revisada, fiel de Almeida; A Hebrew - English Bible — JPS 1917 Edition; La Bible bilingue Hébreu - Français — “Bible du Rabbinat”, selon le texte original de 1899; Parallel Hebrew Old Testament by John Hurt


.

Abrir