Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Antologia mediúnica do Natal — Autores diversos


56

Natal na aldeia

  1 Natal!… O trigo na azenha,

  Água correndo a cantar!…

  A lareira pede lenha,

  Fagulhas brincam no ar.


     2 Natal! Ah! saudade minha!…

    Cantiga do coração!…

    A taleiga de farinha

    Amassa a estriga do pão.


   3 Na sombra que envolve a terra,

  Oiteiros acendem lume.

  Do bragal que se descerra

  Chegam vagas de perfume.


     4 À janela, erguem-se vozes…

    — “Pastores ternos, quem sois?!…”

    Meninos voam às nozes;

    Quanta alegria depois!…


   5 Na sala que se alvoroça,

  Surge um velho sem ninguém.

  Diz o dono: “A casa é vossa

  E a mesa é vossa também…”


     6 Próvida e grande candeia

    Faz luz sob o teto morno;

    Espalha-se em toda a aldeia

    O alegre cheiro de forno.


   7 Há canções claras e puras,

  Nas sebes tintas de breu:

  — “Glória ao Senhor nas Alturas!…

  Hosanas!… Jesus nasceu!…”


     8 Um mocho pia de leve

    No velho beiral vizinho …

    Não sei se é chuva ou se é neve

    Que o vento lança ao caminho!…


   9 Meia-noite!… Dons supremos!…

  Calam-se os próprios lebréus.

  Roga a avozinha: — “Louvemos!…

  Pai nosso que estás nos Céus!…”


    10 Soluços da alma contente…

    Doce visão do Natal!…

    Deus vos salve eternamente,

    Lembranças de Portugal!


.Antônio Corrêa D’Oliveira



Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir