Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Ação, Vida e Luz — Autores diversos


19

A Ciência da Terra

1 Amigos, Deus nos conceda paz, em face das lutas da vida.

2 A ciência da Terra, muitas vezes, é a tentativa do homem no sentido de definir alguns detalhes da Sabedoria Infinita.

3 Enquanto a primeira é instável e inquieta, modificando-se ao sopro das teorias isoladas, a segunda é a eterna expressão da Vida Universal, controlando todos os fenômenos nos variados departamentos da Existência Infinita.

4 O homem surpreendido nos modernos tempos, apenas decifra as primeiras letras de um imenso alfabeto, não obstante as suas alevantadas conquistas como a radiotelefonia.

5 Laplace ofereceu aos estudiosos uma ideia aproximada da realidade, que ainda não é a última palavra sobre o nosso sistema cosmogônico, contudo somos obrigados a reconhecer em seus princípios a verdade fundamental com respeito à família do nosso sol e acerca dos fenômenos que regeram a consolidação planetária na aurora das origens.

6 Acima de todos esses apêndices científicos que povoam os vossos momentos de estudo e de meditação, além de todas as teorias conhecidas sobre a constituição da matéria, sobre a vibração molecular, sobre os sistemas atômicos, existe uma ciência grandiosa que será a grande luz do futuro.

7 Refiro-me à ciência dos fluidos, dentro da qual há de se operar um dia a reunião da ciência e da fé, positivando-se às nossas intuitivas revelações no campo do racionalismo puro.

8 Porque a verdade é que o estudioso progride a cada novo dia, quanto aos conhecimentos das vibrações, e são elas as grandes correntes mantenedoras dos fenômenos da vida, em todos os departamentos da existência.

9 Em todos os Planos existe a matéria, como expressão para a vida espiritual.

10 A sua vibração fluídica é que determina o seu estado de rarefação ou de condensação compatível com as finalidades do meio.

11 São exames e estudos, para os quais não encontramos, na época presente, grande facilidade de tradução nas vossas palavras e que somente serão mais vulgarizados e melhor interpretados quando o homem se desviar do morticínio, da política, da incompreensão e do egoísmo.

A cooperação geral facilita a ambientação de determinados conhecimentos.

12 Acerca da composição e da vida dos astros, continuai em vossos estudos. Eles são úteis e necessários.

13 Esclarecidos pela claridade da crença os campos da vossa razão estão aptos a receber e criar novos elementos do trigo da verdade.

14 Algum dia poderemos trazer-vos melhores elucidações e esclarecimentos, falando-vos do campo magnético, dentro do qual se processam os grandes fenômenos dos vínculos dos mundos, como entre vós, a afeição e o amor estabelecem a harmonia do cosmos social.

15 Com respeito aos meteoros, não deveis esquecer que a natureza, em suas mais simples expressões, está cheia de trabalhadores invisíveis, prepostos de Jesus.

16 Ora, os bólidos não caem à revelia sobre determinados lugares do planeta, e é preciso que saibais que semelhantes fragmentos de matéria inflamada caem, às vezes, aos milhares por dia, sobre a face do orbe.

17 As Forças Espirituais, incumbidas de acompanhar as atividades de sua queda, estabelecem a trajetória desses corpos, de modo a preservar o patrimônio da vida.

18 A queda de um meteoro sobre uma cidade não é, porém, impossível.

Quando se verifica semelhante acontecimento devereis aproveitá-lo no exame das dolorosas expiações coletivas, que, tantas vezes, têm servido de tema às nossas humildes dissertações.

19 Sobre os mundos, muito poderia falar-vos, todavia, é necessário dosar a lição a fim de que não venhamos a cair no domínio da fantasia.

20 Para cada explicação, deve existir uma compreensão e não podemos ultrapassar o limite daquilo que os vossos conhecimentos atuais são suscetíveis de comportar.

21 Mas, embora reconhecendo esses fatos como deduções lógicas e racionais, temos trazido sempre ao vosso mundo de intuição muitas realidades em caráter profético, que, somente mais tarde, poderá a razão aceitar.

22 Por hoje é só, rogando a Jesus que vos conceda muito boa noite, despede-se o vosso amigo


.Emmanuel.



(Página recebida pelo médium Francisco Cândido Xavier, dirigida a um grupo de amigos, no ano de 1938).


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir