Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Fulgor no entardecer — Autores diversos


15


Pires e Parola

  1 As nossas trovas de hoje

  São pequeninos recados

  Para os estudos de amigos

  Quanto ao Dia de Finados.

.Cornélio Pires


  2 São comuns estas palavras

  Em covas e mausoléus:

  “Descansa na vida eterna”,

  “Foi morar com Deus nos Céus”.

.Lulu Parola


  3 São diversas as legendas,

  Usando lápis etéreo,

  Espíritos de fiscais

  Anotam nos cemitérios.

.Cornélio Pires


  4 Escreveu-se: “Aqui repousa

  O avarento Zé Moenda…

  Morreu a coices de burro,

  Em sua própria fazenda.”

.Lulu Parola


  5 O mau ateu Filizola

  Zombava de toda fé…

  Morreu com tétano agudo

  De um simples bicho de pé.

.Cornélio Pires


  6 Riquíssima traficante,

  A senhora Magali

  Bebeu veneno supondo

  Que era licor de pequi.

.Lulu Parola


  7 Em dois sepulcros distintos,

  Estão Bebela e Cirino;

  Bebela chora por ele

  Ele quer outro destino.

.Cornélio Pires


  8 “Neste túmulo repousa

  O amigo Joaquim Vilaça…

  De dia dorme na terra,

  De noite está na cachaça.”

.Lulu Parola


  9 Ninguém tema as mãos da morte,

  Sepultura não é caos,

  As tristes sublegendas

  Só vigoram para os maus.

.Cornélio Pires


  10 Este assunto é controlado…

  Fiquemos nós por aqui,

  Mas vivamos avisados:

  Cada um cuide de si.

.Lulu Parola


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir