Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Chico Xavier: O Primeiro Livro — Autores diversos

Parte II — Chico Xavier: Versos por ele mesmo

31


As lágrimas

1 Cintilantes de luz, como rosas nevadas,

São quais bagas sutis, são quais flores aladas.


2 Gotas alvas de luar, liquefeitos diamantes,

Áureos raios de sol em cristais rutilantes;


3 Tons azuis de arrebol, amálgama de cores,

Apolíneos clarões matizados de flores.


4 São quis réstias de anil de que o céu se decora,

Ou fulgentes rubis, como pranto da aurora…


5 Ígneas lágrimas de sol, que os artistas egrégios,

Inspirados pincéis de outros tantos Correggios,  † 


6 Não traduzem jamais. Nessa gotas de alvura.

De pureza ideal, de pureza e brancura.


7 Vejo no alvo palor toda a cor reunida,

Como filhas da dor nas estradas da vida!


8 É que a lágrima é sempre essa joia encantada,

Sublimada de alvor e de luz matizada;


9 Delicada e sutil, com a pureza da neve,

Fragmento lirial, suavíssimo e leve;


10 Seja filha do amor, da amargura ou tristeza,

Tem o mesmo esplendor invulgar de beleza!…


11 Lágrima! pela vida, és qual flor entre abrolhos,

Alvo lírio da dor, refulgindo nos olhos!


.Francisco Xavier


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir