Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Entes queridos — Familiares diversos


4


Edvaldo Paixão da Silva

Uberaba (MG) — 24 de fevereiro de 1960.

Rifaina (SP) — 27 de fevereiro de 1977.

Mineiro de Uberaba, filho de Geraldo Paixão da Silva e de Maria do Carmo Silva, Edvaldo desencarnou numa excursão de seu colégio, tragado pelas águas do Rio Grande, na fronteira dos Estados de São Paulo e Minas Gerais

Dezessete anos, recém completados, após as férias escolares, cursaria o primeiro ano colegial. Escreveu ao pai, um ano depois de sua passagem para a Vida Espiritual.


PALAVRAS DO PAI DO COMUNICANTE


“As palavras de meu saudoso filho trouxeram-me muito conforto e muita emoção, ajudando-me a não pensar mais no suicídio, tal o desespero em que me encontrava.”

Geraldo Paixão da Silva


MENSAGEM


1 Querido papai, peço ao senhor para abençoar-me.

2 Estou aqui em sua companhia, com o vovô Silvério. n Não pense que eu esteja esquecido. O senhor, mamãe e Aparecida, n podem imaginar que também sofri muito ao me ver sem meios de regressar a casa, como eu queria. Peço-lhes perdão se saí, regressando de maneira que nunca esperei.

3 Hoje, sei que a Lei de Deus está funcionando nas provações que nos aparecem independentemente de nossa vontade e tudo devemos suportar com paciência.

4 Diga, papai, para a vovó Almerinda n e para minha irmã que me lembro delas constantemente. Sempre que posso, embora ainda precise de muita proteção, vou em nossa casa.

5 Agradeço à mamãe e à vovó as orações por mim e as flores que me oferecem.

6 Quando o senhor veste a camisa de meu clube para se lembrar de mim, sinto que uma força muito grande me busca para o seu convívio e fico reconhecido. n

7 Papai, estou melhorando e rogo ao senhor não chore mais, a não ser de agradecimento a Deus. O senhor e mamãe não me perderam. Agora sou mais de casa do que antes, porque o meu pensamento não se retira da bênção com que me receberam e me trataram, enquanto Deus assim permitiu.

8 Papai, diga em casa que a morte não existe. Mudamos de lugar, mas não mudamos de coração. Peço ao senhor, à mamãe e à vovó Almerinda para me abençoarem e peço a Deus os recompense por todo o bem que sempre me fizeram.

9 Na certeza de que estaremos cada vez mais juntos, receba, querido papai, um abração do seu filho que está aprendendo a fazer preces por sua felicidade.

10 Sempre seu filho,

Edvaldo


17 de junho de 1978.


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir